Era uma vez uma futura maratonista com um sonho muito distante de completar os 42.195 km. Tudo começou em 2008 com uma vontade de mudar de vida e transformar lazer em benefício estético e psicológico. As pequenas corridas foram completadas e os objetivos sempre aumentando. Em julho de 2010 tudo mudou, virei maratonista e comecei a sonhar com as ultras distâncias. Em julho de 2012 virei oficialmente Ultra e agora planejo futuras distâncias que me desafiem cada vez mais. Me descobri desesperadoramente apaixonada por km's.

Agora tenho o ano de 2013 inteiro para fazer o que for preciso para quem sabe ser aceita na BR 135 Solo em 2014. Trabalha e Confia!


Carrego no peito as medalhas e na memória os melhores momentos da minha vida.

Próximos desafios:

03 de Novembro de 2013 - Maratona

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Maratona de Porto Alegre 2011

E vamos lá para segunda maratona... Fui parar em Porto Alegre em busca de diversão, tentar melhorar meu tempo e me firmar um pouco mais como maratonista.
Assim que chegamos na sexta-feira a temperatura começou a aumentar. No sabado tive informações que a temperatura poderia chegar a 30 graus. É não dava para contar com o tempo frio então tentei não pensar nisso. Estava com uma galera legal e a familia toda reunida. Encontramos amigos e nos reunimos em lugares legais.

Agora vamos lá, domingão, dia 23 de maio e 42.195 metros pela frente. Confesso que confessei para o professor minutos antes da prova que queria muito adiar mais uma semaninha. Mas não dá né? eu sei... foi só uma draminha básico.

Bem, já na largada vi que tinha pouco mais que 200 mulheres na largada, me assustei!!! Mulherada, maratona não mata, vamos lá participar! Quando dei por mim a largada foi dada, o pace da minha prova seria 6:30 e a mulherada disparou logo no inicio... gente, que loucura, bateu um desespero. Largamos 15 minutos antes dos homens e não tinha uma mulher atrás de mim, estavam todas a frente - TUDO começou aqui. Respirei e abstrai o fato de estar por último, porque isso durou apenas 15 minutos. Depois os homens começaram a passar como uns loucos por mim.

Todo o percurso na minha cabeça era para ser plano, mas não foi. A altimetria me matou, subia e descia pequenas ladeiras a todo o instante.

O clima era para ser frio, mas foi quente, muito quente. Com 3 horas de prova a temperatura passava de 25 graus. Mas para mim, a altimetria ainda parecia a pior arte já que não contava com ela.

Corri bem a primeira metade apesar disso, terminei os 21 km com 2:13, fiz uns cálculos básicos e vi que poderia ficar abaixo de 4:30. Mas meu joelho que já tinha reclamdo no km 12, começou a gritar de dor, aí lembrei de uma palestra que assisti no sábado onde disseram que a dor vem, mas pode sumir, então sai fora dor. Mas diminui um pouco o pace para não me arrebentar... as ladeirinhas continuaram, no km 30 ganhei uma batatinha da assessoria Run & fun de SP (valeu Daniel), tava bem salgadinha, foi bom que tirou o gosto doce do carb up (enjoei dessa porqueira, vou ter que mudar de marca). Tá, depois do km 30 vieram os 2 kms mais longos da prova, não virava 32 nunca... a maioria do pessoal que eu ultrapassava estava andando nesta etapa, se você não tiver cabeça se arrebenta.

Aqui a coisa estava preta, tão preta que tive vontade de desistir, só não fiz isso porque tinha sido caro chegar até aqui. Para melhorar resolvi fazer a prova de 100 em 100 metros, alem de contar os postes de iluminação. Sério na minha cabeça eu ficava só assim - só mais 100 metros katryny, vamos lá, só mais 100. E assim eu consegui chegar no 38, sempre quando falta 4 km minha cabeça melhora, aí foi só correr para o abraço.

Consegui terminar a prova em 4:37:53 - 16 minutos a menos que a primeira. Não chorei, mas vibrei como nunca. Digamos que a primeira maratona foi na base setimental, uma vontade de ser maratonista maior do que tudo. E a segunda foi raça, foi pedreira, a vibração foi saber que mesmo com o excelente resultado do ano passado eu poderia melhorar ainda mais meu tempo. A chegada foi sensacional. Depois que acaba você pensa, valeu cada minuto de dor!!! É melhor valer mesmo porque ela perdura uns 5 dias rs.

Fazendo um balanço geral, a do Rio foi mais gostosa, mais tranquila já que eu não tinha compromisso de tempo, só queria chegar correndo, o clima também estava mais fresco. Essa aqui eu fui minha pior adversária, queria diminuir meu tempo, mas não sabia que isso poderia doer. Doeu e foi bom, se fosse fácil eu não estava nesta.
Confesso também que vi muita gente no sul correndo de bermuda de bunda (aquela do ciclismo) e como semana que vem tem o iron man de Floripa me deu uma vontadeee de fazer um (vontade dá e passa??? tomara, porque nao tenho juizo)...

Medalha no peito e na lembrança o grito de uma senhora no final do percurso - DEPOIS DE UMA MARATONA VOCÊ PODE TUDO!!! E não é que as vezes me pego pensando nisso, ter medo do que e porque?

Valeu amigos blogueiros pela torcida, também terminei a prova pensando em vocês, nao podia fazer feio né??
Ingrid, nao te encontrei :(
Encontrei os amigos Baleias (que sempre deixam a prova mais bonita), o Júlio Pernanbucano que deixa a prova mais vibrante e a Lia. É bom encontrar amigos.

Ahh não poderia deixar de colocar aqui a torcida do hotel, que antes de sair ao inves de me desejar boa sorte, me desejaram Sucesso!!! Me ensinaram que boa sorte é para os incompetentes, aprendeu?? gostei disso, o duro é mudar o hábito.

antes da prova - aqui o grande azarão do dia, papai que foi para correr 21 km, acabou fazendo 42.298 metros em 3:57 sem treinar mais que 18 kms. SENSACIONAL!!! roubou a cena.



depois da prova



medalha no peito

7 comentários:

Ingrid disse...

Querida!!!!
Guria, não fui! Tu acredita!!!!
Foi uma dor tão grande tive que desistir na última hora... número de peito na cômoda... tudo arrumadinho e eu na cama... febril.
Foi um choque pra mim. Não desisto nunca e tive que desistir... porque o corpo gritou.
O meu último post é sobre isso... mas passou...
Agoro preciso te dizer que assim que saíram os resulatdos oficiais, procurei pelo teu nome e encontrei.
Mostrei pros meus guris e pro meu marido a minha amiga blogueira de Vitória, maratonista de coração.
Vibrei por ti e acompanhei a transmissão pelo radinho.
Bjão guria!
Parabéns!!!
Ingrid

Dani disse...

Katryny,

Gostei da frase: "Me desejaram Sucesso!!! Me ensinaram que boa sorte é para os incompetentes, aprendeu??" Vou levar isso comigo, sempre!!!

Parabéns por mais uma maratona completada e pelos minutos a menos. Só quem corre sabe o sabor de cada minuto a menos em nossos tempos.

Bjos,
Dani
correndoemagrecendo.blogspot.com

Sergio disse...

Katryny,
que espetáculo, parabéns!!! ótima notícia! melhorou bastante seu tempo, sinal que os treinos estão dando resultado. Saboreie muito sua conquista, porque essa ninguém tira!
bjs
Sergio
corredorfeliz.blogspot.com

GILMAR FARIAS disse...

Katryny,
Não importa se andanco, correndo ou contando postes. Você venceu o desafio, correu 42.195m e garantiu mais uma história para contar aos amigos.
Valeu!
Gilmar

Joka disse...

Parabéns guerreira, missão cumprida !!! Uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

Luciana disse...

Oi Katryny, parabéns por mais esta conquista!!!

2012 vai ser meu ano nesta distância.

Qual o próximo desafio?????

Bjs

Lu

Katryny disse...

Amigos blogueiros, obrigada pela torcida!!! Parte da minha corrida devo a vocês... fico com medo de fracassar e ter que externar por aqui, então é melhor me matar correndo.

Grande beijo a todos e espero encontra-los em breve em alguma corrida por ai ;)

Postar um comentário