Era uma vez uma futura maratonista com um sonho muito distante de completar os 42.195 km. Tudo começou em 2008 com uma vontade de mudar de vida e transformar lazer em benefício estético e psicológico. As pequenas corridas foram completadas e os objetivos sempre aumentando. Em julho de 2010 tudo mudou, virei maratonista e comecei a sonhar com as ultras distâncias. Em julho de 2012 virei oficialmente Ultra e agora planejo futuras distâncias que me desafiem cada vez mais. Me descobri desesperadoramente apaixonada por km's.

Agora tenho o ano de 2013 inteiro para fazer o que for preciso para quem sabe ser aceita na BR 135 Solo em 2014. Trabalha e Confia!


Carrego no peito as medalhas e na memória os melhores momentos da minha vida.

Próximos desafios:

03 de Novembro de 2013 - Maratona

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Desafrio Urubici 2012 - Uma Super Maratona

Sabe aquela prova que coloca em xeque toda a sua capacidade de resistência, poder da mente e a condição motora? Foi essa!

Está sendo assim desde o dia que comecei a correr provas de montanhas. Estava acostumada a fazer previsões para uma prova de rua e conseguir cumprir com folga. Já com essas provas cascudas quanto mais tempo eu acho que vou levar para concluir posso ficar bem tranquila que vou gastar um tanto a mais. Para uma controladora como eu isso é quase um desespero, essas colinas tem me tratado mais que terapia (acredito eu).

Tenho sempre em mente que todo mundo pode tudo é só querer, basta comprometimento e foco que acontece. Fiz tudo direitinho, não matei nenhum treino, me concentrei, etc etc e não teve jeito, ainda assim fui pega de surpresa e aprendi que numa prova dessas humildade aparecem em primeiro lugar, ouvi isso durante a prova e comecei a refletir mais forte em todos os sentidos, se você não é, vai aprender sofrendo.

Não tenho como descrever tudo que aconteceu durante esses 54 km e essas longas 7h48, mas nem preciso dizer que sofri não é mesmo? Posso resumir dizendo que a prova começou com uma friaca de 5 graus e uma névoa que prometia muito, mas em pouco tempo o sol entrou para a minha alegria e me deu a sensação térmica de 20 graus apesar de não ter chegado lá.
A chuva da semana deixou o percurso uma lama só, mais paracia um mangue com algumas partes em areia movediça, você afundava o pé com chance de voltar sem tênis (aconteceu com alguns). Isso me fez ter a certeza de que quem manda em provas deste tipo são os fenômenos da natureza ou até em alguns casos para ser um pouco mais dramática os desastres naturais. Isso é claro porque as condições de pista são definidas ali, e para alguém desequilibrado como eu, qualquer lama é motivo de queda. Perdi muito tempo no inicio escorregando e desabando na parte da escalada. Estava super protegida com duas blusas e calça então só ganhei um arranhão de leve no rosto e uma roupa enlamaçada.

Em termos gerais a subida é para deixar qualquer um sem fôlego, mas não deixei de correr em nenhum plano e até arrisquei algumas corridinhas ladeira acima já que perdi muito tempo com o pé na lama. Quando você termina a subida, você ganha um renovo, o cansaço desaparece por alguns instantes e você só pensa em recomeçar.
E para descer meu bem, não existe aquela história que todo Santo ajuda, só você se ajuda, você, você, você.
Fui que fui toda cheia de esperança de uma boa descida para recuperar o tempo, mas posso dizer que aquela descida mais subia que descia, e ainda me passa um engraçadinho e me pergunta ironicamente - está gostando da descida? enquanto estava me matando para subir. Só soltei de resposta um olhar fulminante e perdoei porque ele estava bem atrás de mim.
Até 42 Km fui tranquila (na medida do possível) depois disso me disse - Uma maratona, pronto, se terminasse aqui estaria ótimo. Mas foi bem aí que meu psicólogico atingiu e me arrastei até o interminável final. Contei com um parceiro, o Kleber que se arrastava junto comigo. Os últimos 3 km ainda consegui correr porque queria chegar mais do que queria desistir, apesar das duas vontades terem andado lado a lado no final. Assim foi, assim eu fui, assim eu terminei! Ainda bem que viva para contar história.

Entre erros e acertos volto mais experiente, e a cada minuto que passa tenho a certeza que foi um bom negócio. Os erros serão acertos na próxima, apesar de terem sido amadores como comer muito pé de moleque, tomar cápsula de sal no final e não carregar a mochila de hidratação na descida mesmo sabendo que o organizador da prova dá muito pouco alimento durante o percurso.

Volto com os pés no chão sabendo que se quero continuar nessa vida de meio do mato preciso me preparar ainda mais, porque o povo é sinistro, se preparam para não sofrer tanto. Preciso investir um pouco mais de tempo entre árvores e abismos. Tenho um sonho bem alto, e essa prova quase me fez desistir dele, mas ainda não é o momento para desistir.

Volto feliz porque oficialmente sou uma super maratonista e porque ganhei um trófeu de terceiro lugar na categoria, só tinha 5 pessoas, duas desistiram rs. Só que vou te falar, mesmo sendo a última a chegar na categoria, carrego com gosto, foi duro chegar até ali, aprendi muito e isso já vale toda gota de suor congelada pelo frio.

P.s:
Agradecimentos especiais a Marayse e Felipe Souto. Meu Deus, não tenho nem como agradecer todo apoio e estrutura. Passei momentos super agradáveis e especiais. Estou agora num débito gigante com eles, e vou cumprir feliz. Valeu Hoffman pela organização do encontro.

Aos meus amigos blogueiros, um obrigada mais que especial. Muitas dicas, força e pensamento positivo. Com certeza me ajudaram a chegar até o fim de mais essa conquista.

Meu marido foi um caso a parte, conto num outro momento. Mas também ganha agradecimentos apesar de tudo rs.

Antes de largar



Sobe, Sobe, Sobe!




No topo do mundo! Hora de voltar.



Chegando! Sonhei com isso durante quase 8 horas



Muita lama e medalha.



Já limpinha com o meu troféu.





24 comentários:

Marayse disse...

Vc fez jus ao seu troféu! Parabéns! E quanto ao apoio.... Todos os participantes do Desafrio sabem que o Felipe é expert nesse assunto!
Estou aqui, cheia de dores e tentando pensar em como serão meus treinos pro percurso SOLO no ano que vem! kkkk
Adorei receber vcs!
E que venham outros encontros, outros prêmios e outras montanhas!
Até o Rio!

Alessandra disse...

Olá! Que legal o seu relato. Já estive naquela região a passeio e sei o quanto o lugar e o clima são inóspitos para essa prática de esporte. Parabéns e que vc continue se desafiando cada vez mais.

http://correalebraganholo.blogspot.com.br

Dani disse...

Oi Katryny,

Que bela participação. Vc é guerreira e fez por merecer esse lindo troféu.

Ano que vem pretendo participar, mas vou dividir com o Vinicius. Solo não tenho coragem!!!

Bjos,
Dani
correndoemagrecendo.blogspot.com

Ricardo Hoffmann disse...

Parabéns maluquete! Eu já sabia desde o início, mas eu me contenho. Espero que volte ano que vem, pois nessa eu quero estar. E esse desafio ai, qual será hein? Eu só queria saber como você vai perder uma festa em Friburgo, só isso. Parabéns! O irmão tá orgulhoso.

GILMAR FARIAS disse...

Katryny,
Parabéns! Ainda conquistou troféu e experiência. Ano que vem pretendo participar desse Desafrio.

Quando adolescente, corria no meio do mato, por trilhas e riachos, em sítios e fazendas.
Fazia isso e nem imaginava que no futuro eu me apaixonaria novamente pela brincadeira.
Em agosto vou para a K42 me divertir. Finalmente!
Valeu!
Gilmar

Sergio disse...

Katryny
Parabéns!!!!! imagino o quanto foi difícil e suada essa medalha e esse troféu! fantástico!
bjs
Sergio
corredorfeliz.blogspot.com

Mari Sereia Baleias disse...

Oi lindinha, que feito show.......muito orgulhosa da sua brincadeirinha viu?
Brincar de correr trocentos quilometros subindo aquelas ladeiras no frio com lama, ui........divertido demais..........risos..........e ainda por cima ganhando troféu, pode isso.......PARABÉNS!!!!!!.....
Urubici é osso duro mas vale a pena, adorei tudo aí, e o apoio desses dois não existe igual.......
bjão.........saudades suas........

elis disse...

com chuva é mesmo outra corrida, Katryny!
você contando de Urubici, e eu só pensando em Bombinhas... porque Bombinhas, com chuva, é também outra coisa!

quando eu fui pra Urubici, tive muita sorte, porque não estava tão frio no começo, e principalmente, porque foi sem chuva... trilha com chuva é perrengue dobrado;)

mas é bom, né não!
depois que a gente corre em lugares como Urubici, fica difícil achar graça dos desafios no asfalto...

humildade é uma lição sempre presente nesses desafios... humildade e voo livre, porque haja traseiro, cotovelo, joelho no chão rsrsrsrs

parabéns pelo seu troféu!
você mereceu!

beijão!
nos vemos no Rio!

Viva a vida de corredor disse...

Parabéns por mais esta conquista na sua vida de ultramaratonista, a cada dia nos conhecemos melhor e vamos descobrindo o quanto é bom superar cada novo espaço.

Ingrid disse...

É uma doida mesmo!
Mas uma doida daquelas que nos inspiram.
Guria, te tenho como uma grande colecionadora de desafios e novas frentes.
Entrar no teu blog é tração 4 x 4, sempre.
Parabéns por mais essa!
Bjoooo, Ingrid

Adroaldo Bombardelli disse...

Lendo seu relato,real,lembrei-me que passei pelo mesmo caminho duas vezes: em 2010 e 2011. Neste ano quase chorei por não ter podido participar. O meu tempo foi um pouco inferior ao seu mas com uma diferença: corri aos 70 e 71 anos respectivamente,com o mesmo clima e o mesmo caminho barrento.
Até hoje exibo meus troféus. Fiquei em 1º lugar nos dois anos, na categoria M11.
Se te considero rainha das montanhas, é porque realamente es rainha.

Anônimo disse...

Ka, filha raçuda! Mais um desafio... quer dizer desafrio! Me sinto orgulhosa por ter participado de uma maratona com você - momentos inesquecíveis pra mim. Só assim pude entender o que te leva a essas aventuras. Acredito que faremos outras um dia juntas, quem sabe? Aos poucos você vai vencendo todos os obstáculos que o nosso esporte oferece e com isso sua paixão só vai crescendo. E que paixão! Capaz de mudar o rumo de sua vida, de concentrar seus esforços e de envolver toda a família. Parabéns filha. Que Deus continue no controle de todos os seus planos e que jamais te falte humildade, perseverança, fé e saúde para cumprir todos eles. Bjs e bjs

Katryny disse...

Marayse, obrigada novamente. Vocês são sensacionais!!!
Ahh, estamos comendo pinhão até hoje kkkk
adorooo
beijoo pra família

Katryny disse...

Obrigada Alessandra!
Bem vinda!

Katryny disse...

Dani, você já está indo para sua segunda maratona, faz o favor de sofre no solo kkkk
Beijooo e obrigada

Katryny disse...

Fala irmão!!!
Tô sabendo de Friburgo não...
quero detalhes rs
beijo e até o Rio

Katryny disse...

Mais vale a experiencia que o trofeu Gilmar rs
Sucesso em Bombinhas!!
Vou ficar no torcida.
Beijos

Katryny disse...

Elisinha querida, sem você minhas corridas seriam outras...
Você é espelho! Seus conselhos, ordens ;)
Beijo grande

Katryny disse...

Obrigada Sérgio!!!
Até o Rio!
Beijo grande

Katryny disse...

Obrigada Mari!!!
Muitas saudades suas...
ESpero vê-la no Rio :)
Beijão

Katryny disse...

Ingrid, adorei o tração 4 X 4!!!
Brigadão
Beijos

Katryny disse...

Obrigada pelo elogio Adroaldo, essa prova é dura, mas vale cada metro!
Grande abraço

Katryny disse...

Amem Mamy's
Love you
Beijão

Anônimo disse...

Vocé é demaissss! Sou sua fã! ;))
Bjossss
Elisa

Postar um comentário