Era uma vez uma futura maratonista com um sonho muito distante de completar os 42.195 km. Tudo começou em 2008 com uma vontade de mudar de vida e transformar lazer em benefício estético e psicológico. As pequenas corridas foram completadas e os objetivos sempre aumentando. Em julho de 2010 tudo mudou, virei maratonista e comecei a sonhar com as ultras distâncias. Em julho de 2012 virei oficialmente Ultra e agora planejo futuras distâncias que me desafiem cada vez mais. Me descobri desesperadoramente apaixonada por km's.

Agora tenho o ano de 2013 inteiro para fazer o que for preciso para quem sabe ser aceita na BR 135 Solo em 2014. Trabalha e Confia!


Carrego no peito as medalhas e na memória os melhores momentos da minha vida.

Próximos desafios:

03 de Novembro de 2013 - Maratona

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Kainach Bergmarathon - 44 Km - Austria - 12/08/12

Sinceramente, achei que não conseguiria voltar a escrever após tanto tempo. Mas me neguei a escrever obrigada já que faço isso por prazer. Após um longo periodo sem colocar meus olhinhos por aqui estava na hora de voltar, afinal, muita coisa boa aconteceu, e não é só um post que vai resumir tudo. Inicio logo então.

Uma delas foi essa aventura pelos Alpes Austriacos que por sorte escrevi num caderninho para não esquecer e deixar passar em branco. Antes de começar vou te fazer uma pergunta. Alguma vez você já fez algo no modo hard, super radical e com muita emoção?
Assim foi essa ultra de montanha que superou todas as minhas expectativas, uma surpresa atrás da outra.

Com uma altimetria que de 500m pularia para 1.800m em poucos km's, fazia com que meu coração batesse no ouvido (nos dois) em pouquissimo tempo de prova. Percebi que era estranho, incomum, e assutador... mas continuei, mesmo já pensando em desistir já que a prova nem tinha começado. Comecei a focar na descida e espera-la ansiosamente após o km 14, já que barranco era a minha única visão até aquele momento (ui).
Quando ele finalmente começou a despontar imaginei que a partir daquele momento começaria a correr e adiantaria a prova, me enganei (como sempre)... fui supreendida com pedras gigantes no caminho (só me lembrava daquilo: pedras no caminho? guardo todas, um dia vou construir um castelo). Com Pedras era impossível a evolução, não dava para correr. Cai de bunda duas vezes em menos de 1 km. Na última vez fiquei um tempão sentada olhando para o abismo com arame farpado ao meu lado... aquilo me parecia muito perigoso, comecei a refletir se era prudente continuar já que sou muito desajeitada, cairia outras vezes, estava correndo risco de vida e o pior, ficaria com o rosto todo deformado no meu caixãozinho depois de ultrapassar todo aquele arame e cair no abismo. Se tinha alguem do meu lado para socorrer?? claro que não, ninguém faz essas provas, no máximo 100 pessoas espalhadas em 45 km, nesse momento me lembro de só ter visto uma senhora de uns 90 anos atrás de mim rs. Aqui pela primeira vez em 31 anos pensei, Game Over pra mim. Vamos voltar viva né?

Comecei a imaginar onde estaria o próximo posto de hidratação para pedir "penico", arrego, qualquer coisa similar. Mas assim que cheguei no danado do posto um rapaz nem esperou eu abrir a boca e me disse - Continue, você vai ficar muito orgulhosa de você. - Pronto, era tudo que eu precisava, ficar orgulhosa de mim. Vamos chegar e que seja por último, afinal só os últimos e os primeiros serão lembrados rs.

Para elevar o nível da prova as vacas se tornaram parte do caminho, eram lindas, super bem cuidadas, até tinha um sininho no pescoço (desenho animado). Elas só tinham um defeito, gostavam de encarar e ficavam ocupando o estreito espaço para passar, algo como abismo, mato, vaca... escolha seu espaço para passar e siga em frente. Teve uma hora que tinha tantas, mas tantas que pensei em tirar uma foto, mas fiquei com medo de ficar parada muito tempo e algo acontecer, achei melhor sobreviver para contar.

Cercas?? se eu juntar meus anos passados e futuros não consigo pular a quantidade de cercas que pulei nesse dia, algo sobrenatural. Numa das últimas tive uma crise de riso, estava louca e inacreditavelmente cansada.

Assim fui, longas sete horas e muitos minutos, ante penúltima a chegar e muita, mas muita história para contar. Fiz um amigo no inicio da prova que voltou para me buscar no final, ter alguem que se preocupa com você não tem preço (mesmo que seja um amigo passageiro). Nem liguei quando percebi que como algumas provas na Europa e nos EUA eles não fornecem medalha, só para os primeiros lugares, como o rapaz disse lá atrás, agora estava orgulhosa de mim, tive mil e um motivos para desistir e não foi desta vez.

Mas como tudo ainda pode melhorar, tive um surpresa final, um troféu de primeira na categoria (só tinha eu rs). E pelo menos cheguei em oitavo das nove corajosas que terminaram a prova. Ganhei também um livro gigante da cidade onde fui muito bem tratada graças a cortesia do organizador Bernd Gratz.

Um Show de Aventura!
Inesquecível!

12 de agosto de 2012

8 comentários:

Ricardo Hoffmann disse...

Uau! Que orgulho! Parabéns pela aventura. Aquilo branco no troféu é uma pedra?? Se for, confere só emporiododom.blogspot.com
Bj maninha

Sergio disse...

show! espetáculo! parabéns!
bjs
Sergio

Helena - Floripa/SC disse...

Katryny, que lindo e emocionante relato. Esta deve ser uma prova com garantia de aventura e superação extras. Parabéns pela prova.

Beijão e bons treinos!!

Helena
correndodebemcomavida.blogspot.com

elis disse...

olha, eu ri, tá:)
ri na parte das cercas, ri na parte das vacas:)
ri porque me vi lá com você, passando por tudo aquilo: medo de seguir, vontade louca de continuar... porque no final das contas, e são muitas contas mesmo, depois que a gente passa a linha de chegada, esquece tudo, e fica apenas aquela sensação maravilhosa de superação e conquista!

parabéns, menina danada!
nos vemos em Búzios;)

Fábio disse...

Muito show! Parabéns, gostei muito do relato... não fique mais tanto tempo sem postar...

Abs

Fábio
www.42afrente@blogspot.com

Luciana disse...

Oi Katryny!!! Vc, muito tempo sem postar e eu tb, muito tempo sem deixar um recadinho aqui :)

Adorei seu relato, morri de ri tb!!! Sempre que eu quiser desisti de ir correr vou lembrar da frase "vc vai ficar muito orgulhosa de vc" :)

Ótimas aventuras pra vc
Bjs

Thais disse...

Apesar das suas loucuras, tenho um orgulho danado de você !!!!

Te amo amiga!

Beijos

Katryny disse...

Obrigada queridos...
Sinto falta de escrever aqui, me faz muito bem, preciso me dedicar mais a escrever e visitar o de vocês ;)
Beijo grande

Postar um comentário