Era uma vez uma futura maratonista com um sonho muito distante de completar os 42.195 km. Tudo começou em 2008 com uma vontade de mudar de vida e transformar lazer em benefício estético e psicológico. As pequenas corridas foram completadas e os objetivos sempre aumentando. Em julho de 2010 tudo mudou, virei maratonista e comecei a sonhar com as ultras distâncias. Em julho de 2012 virei oficialmente Ultra e agora planejo futuras distâncias que me desafiem cada vez mais. Me descobri desesperadoramente apaixonada por km's.

Agora tenho o ano de 2013 inteiro para fazer o que for preciso para quem sabe ser aceita na BR 135 Solo em 2014. Trabalha e Confia!


Carrego no peito as medalhas e na memória os melhores momentos da minha vida.

Próximos desafios:

03 de Novembro de 2013 - Maratona

sábado, 20 de julho de 2013

Agora posso me explicar...

Como você lida com a dor?
Bem, eu me isolo, evito todos, até me resgatar e aceitar o que não posso mudar. Aí sim, depois deste processo posso falar sobre o assunto e pensar nos planos A, B e C para continuar seguindo.

Este primeiro semestre por motivos que só Deus conhece, precisei virar pó, vivendo sob pressão. Tudo parecia um cardiograma, um dia céu e outro inferno, um dia céu e outro inferno para dramatizar um pouco e justificar a situação rs. Confesso que não me lembro de ter vivido nada parecido, foram dores emocionais que vinham em sua versão mais intensa. Passei 6 meses tentando resolver algo que definitivamente não estava sob meu controle.

Sendo assim, me afastei, me isolei, e não conseguia correr. Assim que acabei a BR meu ritmo de treinos praticamente desapareceu. Consegui em uma semana meia louca em abril fazer um acumulo de 85 KM de corrida, e foi só, algumas vezes saia para correr e não passava de uma caminhada de 2 KM.

Quando acordei, já era junho e estava inscrita para uma prova de 50 KM em Ilhabela em 2 semanas. Sai desesperada e corri 55 km em 3 dias. Senti muitas dores na região próxima ao quadril. Parei e desisti de Ilhabela. Fiquei as duas semanas paradas, mas achei que já estava boa, que tinha sido apenas uma dor passageira e resolvi fazer um treino com uma amiga, fomos de Vitória a Vila Velha num ritmo super agradável em um trecho de 25 Km. Sentia dores intensas, que nem a cápsula vermelha mágica sarava. Para completar no final do treino faltando 1 KM, tropecei e voei para o chão batendo joelho, quadril e cotovelos. Fiquei toda ralada e ainda pior, voltei para a casa mancando. No outro dia não andava. Pagando o preço pela irresponsabilidade física e emocional!

Desesperada bati na porta do meu ortopedista que sempre me salva, só sai de lá depois que ele me atendeu, esperei por cinco horas. Fiz uma ressonância e voltei assim que pude para o dia do desastre. Com pesar ele me disse que estava com uma lesão grave no quadril e que não poderia nem andar no próximo mês. Molhei a mesa dele toda de tanto chorar. Ele ficou assustado, que pedia desculpas o tempo inteiro por me dar esse diagnóstico. Me encaminhou para um especialista em quadril em SP. Na loucura consegui marcar para o dia seguinte, dentro de um carro por 12 horas cheguei direto para a consulta.

Chegando lá o Japonês pediu mais uns exames especificos para esportistas e que fiz todos na hora. Resumo da opera, ele descobriu mais umas lesões que hoje ainda não me doem no quadril, mas que podem me ser um problema. Tenho anomalias que são defeitos de fábrica e não por excesso de corrida (quem procura acha) e outras coisitas mais. Mas o que me dói mesmo hoje é uma bursite trocanteriana e de peritendinopatia na inserção do glúteo médio (credo, não malhei meu glúteo médio direito)... chorei mais um balde e perguntei se poderia voltar a correr e ele disse que sim, mas não por muito tempo. Conversa:

- Muito tempo quanto Dr? Mais de um ano??
Dr - Ah sim, mais de um ano.

- Posso começar quando Dr?
Dr - Não posso te dizer, o fisioterapeuta que vai te acompanhar fará esse processo.

Desde então trato meu fisioterapeuta muito bem, já que ele quem manda na parada rs.

E a decisão é a seguinte, não corri nem 100 metros ainda.
O dia que voltar e não sentir dor, ai meu bem, vou pra guerra. O dia que parar parou... vou procurar outra coisa... ou vou virar alpinista... ou vou velejar... ou vou pular de para-quedas, virar missionária na África, sei lá... me viro, desviro... só não posso sofrer por antecedência.

Não me interessa correr pouco, correr pra ficar magro (só acontece quando fecho a boca), correr pra sei lá o quê. Gosto do muito, de passar longas horas em paz correndo nem que seja uma vez por mês... e não tem jeito, só quem já teve o privilégio de correr por longas horas sem multidão, ou sob um céu estrelado sabe do que estou falando. O duro é que para chegar dói e desgasta.

Enquanto isso, continuo pagando o preço e aprendendo a ter muita paciência.


6 comentários:

Dionisio Silvestre disse...

Tenha sempre presente que a pele se enruga, o cabelo embranquece, os dias convertem-se em anos... Mas o que é importante não muda... a tua força e convicção não têm idade. O teu espírito é como qualquer teia de aranha. Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida. Atrás de cada conquista, vem um novo desafio. Enquanto estiver viva(o), sinta-se viva(o). Se sentir saudades do que fazia, volte a fazê-lo. Não viva de fotografias amareladas... Continue, quando todos esperam que desista. Não deixe que enferruje o ferro que existe em você. Faça com que, em vez de pena, tenham respeito por você. Quando não conseguir correr através dos anos, trote. Quando não conseguir trotar, caminhe. Quando não conseguir caminhar, use uma bengala. Mas nunca se detenha".

Madre Teresa de Calcutá

Meire disse...

Hei Katryny....Aquiete a alma. Não há mal que sempre dure e nem bem que nunca acabe...Ás vezes é preciso parar e ouvir o que nosso corpo que mostrar através das dores. Logo verás novamente o ceu estrelado como nunca e a doce solidão de correr horas e horas...

Nos vemos no caminho

Meire/BH-MG

Ubiracy Rezende disse...

Parabéns pelo Blog Katryny!... Acabo de reportá-lo na última postagem que fiz no meu blog BiraNaNet, intitulada "Melhores Blogs de Corredores!", confira no link: http://www.birananet.com/2013/08/melhores-blogs-de-corrida.html ... Abraços! Bira

BALEIAS disse...

Olá Katryny. Venho para te dizer que eu e Wu adiamos nossa participação em NY. A gente perde o valor da inscrição mas tem a vaga garantida em 2014, pagando tudo de novo. Vai ficar melhor assim para nós pois o ano estava lotado. Porque você não faz o mesmo e dá o tempo necessário para a recuperação? Grande abraço. Miguel Delgado.

Anônimo disse...

Katryny,
Estarei torcendo para que você seja aceita na BR135, estaremos comemorando 10 anos. Meu nome é Nário Gama (STAFF), tenha fé que nos veremos no caminho da fé........

Simone Guazelli disse...

Ola amigo estou divulgando esse site sobre corrida, muito interessante aos amantes da corrida, vale a pena ver
http://sobrecorrida.com.br/saude-do-atleta/exercicios-funcionais/treino-de-forca-em-circuito/

Postar um comentário