Era uma vez uma futura maratonista com um sonho muito distante de completar os 42.195 km. Tudo começou em 2008 com uma vontade de mudar de vida e transformar lazer em benefício estético e psicológico. As pequenas corridas foram completadas e os objetivos sempre aumentando. Em julho de 2010 tudo mudou, virei maratonista e comecei a sonhar com as ultras distâncias. Em julho de 2012 virei oficialmente Ultra e agora planejo futuras distâncias que me desafiem cada vez mais. Me descobri desesperadoramente apaixonada por km's.

Agora tenho o ano de 2013 inteiro para fazer o que for preciso para quem sabe ser aceita na BR 135 Solo em 2014. Trabalha e Confia!


Carrego no peito as medalhas e na memória os melhores momentos da minha vida.

Próximos desafios:

03 de Novembro de 2013 - Maratona

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Retrô 2011 - Ano Maluco Beleza

Como eu estava com saudades de escrever... mas faltava tempo e inspiração. Essa semana não tive desculpas, tirei uns dias de folga e uma retrospectiva 2011 me “assombrava” rs...
Assombrava, porque o aninho viu, pareceu mais um cardiograma, fazia tempo que não vivia isso e se é que algum dia eu vivi, tudo intenso demais. Entrei em 2011 já sabendo que viraria a terceira década, então a promessa era 30 presentes especiais e viver o que bem quisesse na hora que eu quisesse do jeito que eu quisesse. Daí veio o cardiograma, sofri as conseqüências de tudo isso rs... relaxem que não foi nada sem juízo porque isso não me falta rs.

Engraçado que até ontem achei que não tinha feito nada, minha mãe me perguntou como foi o meu ano e eu disse que não tinha feito nada rsrs... aí lembrei das 50 milhões de coisas que fiz, e que quando a gente muito faz tem a impressão que não fez nada. Sai como um trem desenbestado por aí e me diverti horrores, foi o ano da diversão desde o dia 01 de janeiro. E quem foi que disse que quem só se diverte é feliz?? Mentiu! rsrs
Bom mesmo é viver com calma.

Fazendo a retrô 2011 da minha vida na corrida, e tentando lembrar de tudo que aconteu (coisa dificil rs) posso dizer que em abril venci o temor da segunda maratona (aqui foi o divisor de águas, ou gostava ou não gostava desse negócio de muitas horas correndo) e fiz a meia da ponte edição histórica, depois de 10 anos sem o evento (20 km de ponte, sofri!).
Em julho decidi em cima da hora sem inscrição sem nada participar da meia do Rio, peguei um avião e despenquei até lá, revi amigos e bati meu recorde, fiz a prova inteira a 10 kmh, a prova com mais de 21.600, terminei com 2h09.
Em novembro fiz uma grande aventura, participei sozinha da K42 na Patagônia, minha primeira prova de montanha com 7h20 de pura emoção.
Em dezembro, mais uma vez em cima da hora despenquei para BH para o QG Baleias (que viagem maravilhosa) e de quebra ainda bati meu recorde com muitos minutos a menos.
E fora isso tive dias de treinos maravilhosos, fiz amigos maravilhosos e especias. Também me decepcionei com alguns porque acredito mais do que devia nas pessoas. Mas decepção não mata, ensina a viver. Para cada amigo (colega) louco que se mostra visivel, aparecem milhões de outros agradáveis e sem outras intenções, afinal a corrida é ou não um ambiente diferente? Então corredores, nosso objetivo principal é correr e depois nos relacionar e divertir (porque tudo isso é bom d+). Não vamos levar picuinhas, mentiras, ignorância e confusão que são mais comuns em outros ambientes para esse universo maravilhoso do esporte, até porque a palavra dita(escrita) nunca mais volta atrás, já era. Prefiro acreditar que isso não é comum entre nós.

Fazendo um balanço geral, não me arrependo de nenhuma viagem loucura que fiz, nenhuma corrida maluca que participei, nenhuma madrugada acordada correndo, nenhuma ladeira sofrida correndo, não me arrependo nem mesmo das dores, aliás essa é a MELHOR parte. Adoro dor da corrida, elas me fazem feliz rs.
Se eu fosse contar as tragédias desse ano para o carroceiro no mínimo o burro iria chorar, mas nem o dente quebrado por uma coisa idiota na semana passada me tira o humor e a minha vontade de SONHAR GRANDE. Quero mesmo é viver, e espero ter aprendido nesse ano louco desgovernado que posso fazer isso com calma. Será que vou conseguir? Calma eu? Posso tentar.
Vivi rapidamente, posso até dizer que devo ter oxidado muito mais rápido, mas termino com a missão comprida: projetos de corrida realizados, 30 países aos trinta (passagem para o país 30 comprada) e meu corpinho de 20 anos de volta - quase, faltaram só uns 3 quilinhos rs (casar engorda povo, e não é 80 km de corrida por semana que emagrece).

Projetos para 2012? Incontáveis, inclusive trabalhar muito para realizá-los rs. Vou deixar esse assunto para daqui a pouco. Ainda quero escrever todos eles antes do meu ano começar.

Beijos saudosos do que vivi e esperançosos do que ainda há por vir

4 comentários:

Ricardo Hoffmann disse...

Que legal essa retrô. E 2012?? Precisa ser melhor! Tudo de bom para você!! Pela data dessa maratona, sei não hein...vem coisa très chic por ai. bjs

GILMAR FARIAS disse...

Katryny,
Uma retrospectiva parece mostrar o quanto nós somos capazes de planejar e realizar sonhos. Muito bom terminar o ano e perceber que temos mais histórias para contar e mais amigos para curtir (e correr).
Foi um prazer te conhecer lá em BH. Pena que foi muito rápido.
Boa sorte nas viagens e nas (ultra)maratonas em 2012.
Valeu!
Gilmar

Katryny disse...

Valeu Ricardo...
Acho que pelo andar da carruagem 2012 já está bombando rs...
preciso montar um calendário urgente rs
bjs

Katryny disse...

Gilmar, adorei conhecer vocês...
Da próxima vez precisamos de mais tempo realemente para colocar as histórias em dia.
Beijos e Feliz 2012 para vc e sua família

Postar um comentário