Era uma vez uma futura maratonista com um sonho muito distante de completar os 42.195 km. Tudo começou em 2008 com uma vontade de mudar de vida e transformar lazer em benefício estético e psicológico. As pequenas corridas foram completadas e os objetivos sempre aumentando. Em julho de 2010 tudo mudou, virei maratonista e comecei a sonhar com as ultras distâncias. Em julho de 2012 virei oficialmente Ultra e agora planejo futuras distâncias que me desafiem cada vez mais. Me descobri desesperadoramente apaixonada por km's.

Agora tenho o ano de 2013 inteiro para fazer o que for preciso para quem sabe ser aceita na BR 135 Solo em 2014. Trabalha e Confia!


Carrego no peito as medalhas e na memória os melhores momentos da minha vida.

Próximos desafios:

03 de Novembro de 2013 - Maratona

domingo, 20 de novembro de 2011

K42 Villa La Angustura - La Final

Mais uma vez não sei como começar, poderia começar fazendo um suspense e falar dos voos e depois da corrida. Poderia ir direto ao resultado final, sei lá. Na verdade não tinha começado esse post ainda justamente porque não conseguia desenvolver nada além de "FOI TUDO PERFEITO".
Pois foi, não gosto de usar a palavra perfeição porque ela me deixa desconfortável mas não conseguia pensar em outra coisa e o tempo ia passando e fiquei preocupada em deixar para trás um registro tão importante. Em conversas de divã, sempre controlo tudo, e nessa viagem, nada, mas nada mesmo estava sob meu controle, tudo foi uma surpresa, e que bom ser surpreendida, nem sei quando foi a última vez que permiti isso. E graças a Deus todas as surpresas foram boas, também eu tinha uma torcida enorme por aqui, valeu torcida!!!

Os vôos, foram super certos e encaixados. Em um dos 3 vôos de ida conheci o João Javera e sua esposa e o Giliard todos com uma mega experiência e eu lá com as minhas humildes 2 maratonas rs. Em Esquel pegamos um ônibus por 300 km até Bariloche (umas 4 horas) e lá consegui uma última vaga numa Van para Villa (+100 km) de um lado do banco o Giliard e o do outro a Rosália (Ganhadores do K42 de Bombinhas) muitas dicas e muita sorte para mim ;) .... e pensar que foram noites sem dormir me perguntando se iria chegar e tudo estava dando assim, tudo mais que certo. A Van por R$ 75,00 reais me deixou na porta do hotel, 5.000 km de sucesso. O meu foi o ultimo voo que chegou em Esquel, todos os outros foram cancelados, muitos brasileiros tiveram que voltar sem ao menos chegar até a prova.

Hospedagem nota 10. O casal de amigos que fiz pelo Facebook nota 1000 já estavam por lá e foram uma super companhia nos passeios, congresso técnico, jantares, almoços e etc.

E vamos ao que interessa, a prova.
As montanhas ficavam lá o tempo todo me encarando e eu fingia não perceber, elas eram grandes demais para mim.
Na noite anterior o vulcão resolveu fazer sua pior manifestação desde o dia 04 de junho e fechou o tempo com cinzas. Já não se enxergava mais nada. Acordamos no dia da prova e continuavamos sem enxergar nada. E eu juro, não pensava em nada... acho que o gluten me drogou (depois de tantos meses sem ele) não pensava em nada, só levantei, tomei café, arrumei minha mochila, fui para a prova, para a largada e peeeemmmmmmmm....
Todos saíram como malucos... e eu continuava sem pensar rs...
Com 1km de prova já subíamos, com 1,5km primeiro rio a ser atrevassado e eu vi os argentinos como malucos passando pelo rio gelado e eu avistei uma pontezinha não pensei duas vezes passei por ela e me livrei do rio. Lá pelo km 3 outro rio e ai meu bem, sem ponte, água gelada até a canela, por essa eu não esperava... muita terra no tenis com agua gelada logo no inicio não significava um bom sinal.
E começaram as subidas fortes e a fila indiana de caminhada. Se um caísse, pronto, Strike!
Na minha frente tinha 4 brasleiros que já davam sinais de cansaço e diziam ser maratonistas abaixo de 4hs. Eles começaram falando que iam fazer abaixo de 7hs e pensei - arrumei companhia... antes de chegar aos 10 km eles já estavam mortos e começaram a falar acima de 8hs e pensei - Tô fora... posso até chegar com esse tempo, mas antes vou tentar me aproximar de 7hs... ali começou meu desespero... Na primeira descida vi as Argentinas voando por cima deles e as acompanhei.
Cheguei no posto de hidratação com uma coisa na cabeça, estou com o grupo de 8hs meu Deus!!! rs preciso me adiantar...
quase duas horas de prova, vi umas laranjas e fui em 4 gomos como se estivesse vindo da etiópia, me assustei comigo! Mas queria ser o mais rápido possível porque precisava me adiantar para sair desse grupo.

Ali começava minha longa jornada sozinha. Gosto de gente de conversa, mas também gosto da solidão, e vamos lá, já tinha conversado que chega, agora era concentração. Percebi que fui alvo muitas vezes e odeio ser alvo em corrida. Como estava com objetivo de sair daquela zona tinha que ultrapassar algumas pessoas quando o percurso permitia, mas ninguém gostava disso. Relaxei e fui.

Com 20 km e mais ou menos 3h05 minutos comecei a sonhar com 6:30 de prova, e isso meu deu um gás e muitospensamentos bons, mas foi só uma doce ilusão, as coisas iam ficando cada vez mais dificies.

Com 25 km desisti, já realizava abaixo de 7hs, tinha km que levava 20 minutos para completar. Em momentos algum dimunui meu ritmo, ele só melhora, o percurso que piorava.

Com 30 km já queria qualquer coisa abaixo de 8hs rsrs. Já tinha mais de 6hs de corrida e ainda faltava a pior subida e mais 12 km. Essa fase acho que é a crítica. Parei de pensar, como diz a minha amiga de Floripa - espasmo cerebral. Tirei minha ultima foto, fiz meu ultimo video e nem lembrei que tinha máquina fotográfica mais. Só subia, só subia, e eles ainda aumentaram o percurso de subida, foi até o km 35. Foi uma surpresa os ultimos 300 metros. Quando fiz uma curva e encarei o último trecho coloquei a mão no joelho pela primeira vez para respirar, raciocinar não mais, meu gps tinha parado com 6hs, não fazia a menor idéia de quanto tempo estava, só queria chegar e chegar abaixo de 8hs. Quando vi a descida desanimei rs, não tinha perna mais, dei 10 passos sem correr e pensei, não! Vamos! Vamos! Vamos! Está acabando! Vamos! Vamos! Voltei a correr. E continuei sozinha e ultrapassando algumas pessoas distantes ao longo do caminho.

Muitos já caminhavam, muitos intervalavam, e eu corria, trotava, sei lá... Foi assim, pirambeiras abaixo sempre até o km 39 quando as coisas melhoram com subidas e descidas doloridas mas mais leves.
As descidas me doeram mais do que as subidas (até porque a maioria subia andando rsrsrsrs credo! nem dava para correr rs).
Juro, eu sabia que ia ser dificil, mas assim não rs.
Nos últimos 500 metros tinha um grupo de umas 10 pessoas comigo, pelos quais eu tinha me aproximado, aquilo me agoniou, a euforia me tomou, avistei meus amigos de floripa, vi a curva de chegada e ainda tive fôlego para dar aquele sprint final e largar o povo para trás. Inesquecível. Ráaa!!! Cheguei e GRITEI!!! GRITEI MUITO!!!
7H20 de prova. Eu acho que foi uma maratona com gostinho de ultra, suada, dolorida, mas a melhor, a melhor de todas dores. Cada uma delas teve um sabor especial, mas essa tive que vencer muita coisa para concluir. E aqui estou, não quero esquecer nunca cada minutinho que passei por lá. Muitos obstáculos, todos vencidos, Glória a Deus!

Ahh e os brasileiros que iriam chegar com 8hs, realmente chegaram com 8h10, valeu minha prova solitária ;)

Coleciono conselhos, e tento ser a minha melhor referência. Até porque a minha melhor referência já morreu por mim e você ;)

Todo mundo pronto?



Esse é "O Cara", quase 100 maratonas, muitas ultras e disse que fiz a Maratona mais dificil que ele já fez. Recebi tantos parabéns dele que nem tive como duvidar que foi um bom tempo para a minha primeira Cross



Se um tropeçar, Strike!



Situação de risco para um desajeitada como eu



Chegando - sprint final



Meu suado prato de lentilha da chegada



Aí está, medalha e a primeira camisa de Finisher da minha vida

17 comentários:

Julio Cordeiro disse...

Katryny,
Parabéns!!!
Agora é só comemorar

Alex Dahlke disse...

PARABÉNS!!!
Que aventura, hein!!
Depois dessa, acho que para ser Ultra é só marcar a data, né?!
Comemore mesmo, pois você merece muito.

Abração!

Ricardo Hoffmann disse...

Parabéns Katryny! Depois disso, creio que Búzios será fichinha. Muito bom seu tempo de conclusão. Arrasou!

elis disse...

parabéns, Katryny!!!

eu sabia que você ia se apaixonar!!!
delícia de prova, delícia de relato!!!

que dureza hein, Katryny!
mas é bom porque é difícil, porque a gente que está se superando, aprendendo, a cada km conquistado, a cada subida vencida!

parabéns pelo tempo que você fez na prova, mas acima de tudo, parabéns pelo conhecimento que você tem de seu potencial, e pela coragem de ir atrás daquilo em que você acredita!

essa sensação que nos toma ao cruzar a linha de chegada de um desafio tão especial é nosso troféu, e nosso combustível!

mas você é sortuda, hein? viajou ao lado de Rosália e Gilmar, os feras das provas cross!

você já está pronta pra qualquer desafio! de qualquer tamanho! e vou logo convidar pra um: as 50milhas de Campinas, em março!
eu e Meire estamos nos programando pra ir! bora?

bjs
http://elismc.blogspot.com

DricaPeixoto disse...

Acho que corrida de aventura não é pra mim não, fiquei apavorada só de ver as fotos.

Parabéns por se superar! Parabéns!

Anônimo disse...

Sensacional! Ótimo relato e fotos! deu vontade de fazer um dia, de preferência sem vulcão he he já estava preocupado com a demora do relato... ainda bem que foi tudo bem!
bjs
Sergio
corredorfeliz.blogspot.com

Mari Sereia Baleias Recife disse...

Noooooooooooossa!!!! Parabéns menina, Elis fez comentários sobre você e essa corrida nesse final de semana em Curitiba, sabe que senti uma vontade de fazer essa prova? Toda vez que divido quarto com Elis fico assim, querendo ser como ela.........rsrsrsrs........sonhos......que podem se tornar reais..........né?

abraços........parabéns mais uma vez, adorei seu relato.

Marilia disse...

Sempre superando desafios hein Ka!! Parabéns por vencer mais esse e pelo relato empolgante de ler!! Vc está demais!! Saudades!! Beijo grande!!

Dani disse...

Oi Katryny,

Vc não pode deixar de vir pra Bombinhas fazer uma das etapas do k42. Tenho certeza que será fichinha pra vc....rs.

Uma prova dessas eu ainda não tenho coragem de encarar.

Parabéns vc foi guerreira e fez um excelente tempo.

Bjos,
Dani
correndoemagrecendo.blogspot.com

Anônimo disse...

Valeu Júlio e Alex!
A ultra, estou aqui com meus botões pensando numa menor, acima de 42 para depois começar um projeto grande rs.
Beijos
Katryny

Anônimo disse...

Ricardo, vem com essa de muito bom não... foi razoável para uma primeira rsrs... vou saber mesmo se foi bom na próxima :))
beijão
Katryny

Anônimo disse...

Elisss,
eu tenho medo das suas propostas rsrsrs
Não é que fui mesmo conhecer essas 50 milhas, mas eu tenho que pensar um pouco menor por enquanto rsrs, em 2011 eu aumentei o tempo, em 2012 eu aumento os km's, devagar rs...
Mas vou pensar num revezamento, se conhecer um grupo que estiver faltando estou dentro :)
beijos

Anônimo disse...

Vamos Drica!!!
Você vai gostar!! Na hora você não pensa muito não rs.
beijos
Katryny

Anônimo disse...

Deu tudo certo Sérgio!!!
Quando você for, eu vou também!!! hehehe
Beijos
Katryny

Anônimo disse...

Ei Mari, a Elis é minha inspiração!!!
Toda vez que passo dificuldade numa prova estou eu lá, pensando na guerreira da Elis, aquela li sim é FERA!!!
Bem vinda ao Blog!
Beijos
Katryny

Anônimo disse...

Ei Má, obrigada!
Aparece por aqui!
Saudades, beijos.
Katryny

Anônimo disse...

Dani, bombinhas vai para o calendário 2012.
E guerreira foi você, que com todas as dificuldades que teve nos treinamentos foi lá e fez bonito em Curitiba na Raça!
Mega parabéns!
Beijos
Katryny

Postar um comentário