Era uma vez uma futura maratonista com um sonho muito distante de completar os 42.195 km. Tudo começou em 2008 com uma vontade de mudar de vida e transformar lazer em benefício estético e psicológico. As pequenas corridas foram completadas e os objetivos sempre aumentando. Em julho de 2010 tudo mudou, virei maratonista e comecei a sonhar com as ultras distâncias. Em julho de 2012 virei oficialmente Ultra e agora planejo futuras distâncias que me desafiem cada vez mais. Me descobri desesperadoramente apaixonada por km's.

Agora tenho o ano de 2013 inteiro para fazer o que for preciso para quem sabe ser aceita na BR 135 Solo em 2014. Trabalha e Confia!


Carrego no peito as medalhas e na memória os melhores momentos da minha vida.

Próximos desafios:

03 de Novembro de 2013 - Maratona

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Pacer BR 135 Ultramarathon

Me aconteceu tanta coisa nesses dias de BR que realmente não sei como começar e não consigo pensar numa linha para escrever aqui. Mas vamos tentar!

Bem, um dia antes no encontro antes da prova conheci a família do João e sentamos para discutir quais trechos eu faria. Ele selecionou os que ele mais precisava de apoio, os com maiores subidas e noturnos. Quando resolvi somar todos os trechos, fiquei pasma, passava dos 100! Mas ele acreditou em mim (isso faz toda a diferença), me disse para ficar tranqüila que conhecia até onde eu já tinha ido, e que eu poderia abortar a qualquer momento caso não fosse possível. E a partir daquele momento parei de pensar naquela distancia toda. Consegui até tirar um cochilo a tarde, coisa impossível em qualquer dia normal. E ainda dormi muito bem a noite.

O João largaria sozinho, faria os dois primeiros trechos e eu entraria no terceiro.

Como é diferente essas corridas que ultrapassam limites, ainda não sei como me encaixo nelas, mas sei que é uma paixão meio estranha. Gosto e ponto. Sem explicação. Gosto daquele clima de largada, de ver aquelas pessoas prontas para se desafiar, pessoas que querem mais de si mesma e não dos outros ou de coisa alguma. Não senti entre eles uma tensão no ar, e sim uma vontade louca de largar. Se fizesse psicologia gostaria de fazer um estudo sobre como funciona a cabeça de um ultramaratonista. Me perguntaram o que passa na minha cabeça em treinos ou provas longas e eu não consegui responder. Acho que aí está a brincadeira, acho que não penso em nada relevante e preocupante, só banalidades e se for para pensar em algo relevante que seja sobre força e superação.

Meus trechos estavam divididos em correr, descansar, correr, descansar e o máximo que faria por vez seria 22 km. Cheguei no km 26 com tranqüilidade. Descansei bem, e no fim do dia fiz mais 20 (aqui, quando estava escurecendo e não tinha ligado a lanterna tropecei numa pedra, cai, rasguei a calça na altura do joelho e consegui uns arranhadinhos na mão e no joelho) - o máximo que consegui fazer foi rir, de vergonha! Aliás continuei rindo mais uns 30 minutos, só parei quando percebi que tinha rasgado minha calça nova, aí sim começou a doer e queria chorar rs.

Essas paradas no carro, não sei dizer ao certo se fazem bem ou se faz mal. Até porque depois de muitas horas quem ficou no carro também começa a ficar nervoso e cansado. Na verdade depois de muitas hotas a maioria fica nervoso e cansado. Depois da minha queda e de 46 km estava muito suja, e ficar parada no carro daquele jeito me fazia mal, e meu doia as pernas, não tinha muita posição. Consegui um banho comunitário no postinho por R$ 2,00 :) - fiquei nova, pronta para continuar. Fizemos um trecho duro de 22 km no escuro, e subindo sempre, muito morro. Aqui o povo já começa mais a andar do que correr. Alguns trotes ainda rolava. Chegamos na cidade quase amanhecendo e tentei tirar um cochilo para me renovar. O João continuou.

Resumindo os trechos que fiz foram esses:

Águas da Prata/Pico do Gavião - 16 Km (em torno de 2hs)

Pousada /Andradas - 10 Km (em torno de 1h10)

Serra dos Lima/Barra/Crisolia (anoitecer) - 22 Km (em torno de 3h)

Banho 1h da manhã - Lavou tá novo

Inconfidentes/Borda da Mata (madrugada) - 22 KM (em torno de 3h)

Toscos/Estiva (lá pelas 9 da matina) tensooo, o morro mais alto e longo e as descidas mais longas da prova, aqui te arrebenta - 18 KM (em torno de 3:30) - Tomei um energético efervescente bom! estava docinho rs.

Consolação/Trevo (entardecer) marido chegou aqui :) - 5 KM (35 minutos)

Trevo/Paraisópolis - Chegada - 17 Km - gás total, mas estava chovendo muito depois de 4 km (Levamos 3h30) a possibilidade de bater o recorde do João foi um energético natural para mim, mas o mundo caia em água. Aqui é muita história para poucas 3hs finais, vou deixar para um próximo post.

Muita coisa aconteceu, muita coisa mudou, mas continuo muito confusa em relação até onde posso ir. Ainda não me considero ultra porque corria umas horas e descansava um pouco, não sei, está tudo escuro rs. Só sei dizer que tudo foi muito especial, me conheci um pouco mais e preciso me acalmar para pensar. Voltei muito empolgada com planos nas alturas, mas meu marido ficou muito tenso e resolvi pensar um pouco melhor rs, não quero infarta-lo.

É isso, isso tudo que não consigo colocar aqui, espero ter conseguido registrar pelo menos uma parte. Obrigada a todos que fizeram parte da minha história até aqui, sou construida com base de incentivo, informação e vontade. Consegui cumprir meu principal objetivo nesta corrida que era diminuir o tempo do João e ajudar e não ter que ser resgatada (espero realmente ter ajudado rs). Terminamos a prova em 38h10, 1h30 a menos do que o menor do a melhor BR dele :).

Valeu galera especial, vocês fazem parte da minha Vitória!

Depois posto fotos.

16 comentários:

Ruy Barbosa Jr disse...

Curti.

Fábio disse...

To loco para ver as fotos!!!!

Fabio
www.42afrente@blogspot.com

elis disse...

Katryny!!!

tu já é ultra faz tempo, mulher!
coragem de ultra!
força de ultra!
garra de ultra!
e correu, sim, uma ultra, nessas 38h10min!


eu sabia que você ia viciar;)
é bom, hein!
de um jeito estranho e intenso, doloroso e prazeroso... a paixão tá nisso... na adrenalina, na superação... as fronteiras de nossos limites vão se alargando até sumir de vista, e a gente se sente forte... viva e forte! com uma força capaz de nos fazer voar! bom, pelo menos nossos sonhos voam longe quando estamos num ultra desafio!

o relato tá muito bacana! intensidade e confusão de sentimentos... mas acima de tudo: paixão!

agora você me entende, né;)

aguardo as fotos e mais relatos dessa incrível aventura!
ah, só pra aproveitar esse clima mágico que você tá vivendo: já me inscrevi pras 50milhas de Campinas... vai ser 21/4... e nem vem dizer que você não tá preparada, viu! ;)

beijão!
http://elismc.blogspot.com

Ricardo Hoffmann disse...

kkk, eu me divirto nas suas confusões e loucuras! Elis disse tudo, nada a acrescentar, só o parabéns mulher!! Te aguardamos em Friburgo, para só cinquentinha tá.

Sergio disse...

Katryny
Parabééééééééééééns! sabia que ia dar tudo certo! ótimo relato, carregado de dúvidas, mas muito real... aguardamos mais posts!
vc já é ultra!
bjs
Sergio
corredorfeliz

Mari Sereia Baleias disse...

Eita mulé arretada parabéns, Elis sabe tudo, ela usa as palavras perfeitas no momento certo, isso mesmo que estás sentindo passou e passa um pouco pela minha cabeça também, nos momentos mais difíceis que passei na maratona do Deserto do Atacama chorava e ria ao mesmo tempo, jurava que não repetiria mais aquilo, só que agora já estou me programando a todo vapor para comrades, na verdade essa maratona do deserto me deu um gás novo e motivador para enfrentar outras mais diferentes e mais difíceis ainda, pode isso?....pode sim, a gente gosta, ama, se diverte com os desafios, me descobri nessa loucura e agora só penso nisso......hehehehe

bjão.........ultramatonista linda!
OPS: lembrou no anjinho?

Joka disse...

CLASSE A, BORA SOLO EM 2013 AHUUUUUUUUUUUUUUUUUU

Katryny disse...

Ruy, vc sumiu!!!

Katryny disse...

Ei Fábio, vou ver se consigo colocar algumas até amanhã.
Valeu!!

Katryny disse...

Elis, tô quase te entendendo rsrs... Mais um pouco para me entender e te entender... Reli o post agora e realmente ficou mais confuso que a minha confusão rsrsrs

Que loucura fazer Ultras!!!
Queria não gostar disso para não ter que enfrentar um mundo trás delas.
Mas agora já era!!! rsrsrs

Beijos e obrigada pelos mega conselhos

Katryny disse...

Ricardo, vocês ainda não está entendendo rsrsrs
falta muito pra mim chegar no pique e na força de vcs... mas estou tentando!!!
Bjs

Katryny disse...

Valeu Sérgio!!!
Mas ainda falta um pouco para ser ultra, tô tentando, tô tentando rsrs
Beijos

Katryny disse...

Mari, você é incrivel!!!
obrigada pelo email e pelo carinho
Foi de uma importância enorme!!!
Consegui até dormir a tarde naquele dia, estava em paz.
Vocês são incriveis e todo esse apoio me ajuda a ir alem.
Bjss

Katryny disse...

Jokaaa
malucoo
Se eu for na sua onda só entro em roubada
que inclusive passo adorar!!! rs
Valeu!!

Unknown disse...

Por gentileza Katryny, meu nome é Ivan Gonçalves, sou corredor e sonho em ser ultra. Eu estou agora tentando saber mais detalhes sobre as condições físicas de um pacer de ultra. Poderia me ajudar?

Rafa Alves disse...

Fiquei feliz em encontrar seu relato em uma pesquisa no google.
Hoje estou viajando para São João da Boa Vista, onde amanhã serei pacer de um trio... Katryny, muito obrigado mesmo por compartilhar a sua linda experiência e parabéns por tudo!

Postar um comentário